Escassez de matéria-prima gera queda na produção de vestuário

A pandemia afetou todos os setores da economia, incluindo a moda. Com a escassez de matéria-prima, cresce a queda e suspensão na produção de vestuário. Tudo isso devido à alta no valor do algodão e a valorização do dólar.

A expectativa é de redução da ordem de 9,3% na safra de algodão em todo o Estado de Minas Gerais. As exportações caíram 49% durante a pandemia. Conforme a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), espera-se que o ano feche com queda de 19,5% na produção têxtil.

A viscose também acabou devido à demanda pelo tecido durante a pandemia. (Rogério Vasconcellos, vice-presidente do Sindicato das Indústrias do Vestuário do Estado de Minas Gerais (Sindivest-MG)).

Desde fevereiro de 2020, que a China, maior produtor de tecido do mundo, já estava com suas linhas de produções paradas. Com a paralisação nos demais países devido à pandemia, as fábricas de vestuário também tiveram que desacelerar.

Crise-de-materia-prima-na-moda-pos-pandemia-consultorasdemodabh-02

O Grupo Pacífico Sul, indústria têxtil de Blumenau, encerrou as vendas para entrega este ano. A Marisol Malhas também suspendeu as vendas até segunda ordem, assim como a fabricante de elásticos Zanott.

Para o presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), “será necessário uns 90 dias para regularizar o fluxo da cadeia de produção e distribuição”.

INSTAGRAM

This error message is only visible to WordPress admins

Error: API requests are being delayed for this account. New posts will not be retrieved.

There may be an issue with the Instagram access token that you are using. Your server might also be unable to connect to Instagram at this time.

FACEBOOK

Open chat
Nos envie uma mensagem pelo Whatsapp
Powered by